Pedras nos rins o que fazer

As pedras no rim causam grande desconforto e fortes dores, veja o que fazer para que elas saiam e como é o tratamento correto.

Pedras nos rins o que fazer

A pedra nos rins é quando o homem expele pela urina grandes quantidades de sais de cálcio, fosfatos, cistina, ácido úrico e ainda outras substâncias como diuréticos e a penicilina em algumas pessoas a urina fica saturada desses cristais e como consequência ainda formam-se cálculos. Isso não é raro para pessoas que tem até 70 anos porque em média 12% dos homens e 5% das mulheres podem ter ao menos um cálculo durante suas vidas. Mesmo para as crianças que tem até 10 anos de idade é normal o surgimento das pedras nos rins e a idade que mais acontece é entre sete e dez anos. Para os adultos a época mais fácil de acontecer é entre a terceira ou quarta década de vida predominando mais na raça de cor branca do que nas peles negras e não tem diferença entre os gêneros. A pedra no rim pode começar a se desenvolver a traves da formação dos cálculos que é um processo biológico complexo ainda pouco conhecido por nós, apesar dos avanços consideráveis que já foram realizados hoje em dia constatam-se grandes mudanças nos regimes alimentares que ocorrem devido à industrialização dos alimentos, que são mais ricos em proteínas, hidratos de carbono e sal aumentaram a formação dos cálculos.

Mais sobre Pedras nos rins o que fazer

Para você se tratar deste problema tem que começar por tomar bastante líquidos isso é o principal tratamento, pois desta maneira vai diminuir a quantidade de cristais urinários diminuindo a formação de cálculos. O ideal de qualquer tratamento que você faça é inibir o crescimento dos cálculos existentes e como eles têm origem heterogênea e normalmente são manifestações de doenças multissistêmicas. Não existe apenas um sistema terapêutico por isso o tratamento é prolongado e diversificado e para isso depende do comprometimento do paciente com tudo o que tem que fazer, quando os tratamentos tiverem acontecido por seis meses os exames terão de ser feitos novamente para verificar a eficiência da ação terapêutica. As revisões são super importantes para que exista um controle sobre tudo o que está sendo feito e assim pode animar o paciente para ele continuar fazendo o tratamento.

21/09/10 por Talita

   



Mais informações por email

Comentar